A vida e os sonhos de muitas pessoas constroem a experiência cotidiana da Rede Bodega de Comercialização Solidária. Articulação criada em 2008 entre grupos de economia solidária acompanhados pela Rede Cáritas Ceará, a Rede Bodega representa, desde então, o espaço de congregação em torno da desafiante e possível economia pautada nas relações sociais igualitárias e justas e na produção sustentável, agroecológica e solidária.

O valor desta ação, protagonizada por mulheres e homens de cinco grupos espalhados pelo território cearense, nas periferias e nos sertões, foi reconhecido no Prêmio Fundação Banco Brasil de Tecnologia Social 2017. A Rede Bodega, como tecnologia social, e a Cáritas Brasileira Regional Ceará, como instituição, ganharam a categoria Economia Solidária do Prêmio FBB e a melhor tecnologia pelo júri de funcionárias e funcionários do Banco do Brasil e da Brasilcap, que contou com mais de 13 mil votos para as 21 finalistas de todas as categorias do prêmio 2017. Maria Francisca Morais de Sousa, da Associação Mulheres em Ação e da Budegama, recebeu os prêmios representando a Rede Bodega junto com Alessandro Nunes, assessor da Cáritas Brasileira Regional Ceará, representando a instituição.

Cristina Velasco, gerente de Responsabilidade Social Corporativa da Brasilcap, frisou que os votos da instituição no júri dos funcionários levaram em conta a tecnologia que ressalta o papel da mulher, em consonância com o quinto objetivo de desenvolvimento sustentável das Organizações das Nações Unidas, a igualdade de gênero. Maria Francisca, na fala de apresentação da Rede Bodega durante o Fórum Internacional de Tecnologia Social, realizado pela FBB nos dias anteriores (21 e 22 de novembro), teve a oportunidade de destacar a mulher como “força maior” na composição da Rede e compartilhar as mudanças significativas que acompanhou nas colegas em relação à autoestima, ao cuidado de si e o fortalecimento da relação entre elas, fator fundamental para que esta rede siga firmemente entrelaçada.

Vencedoras e vencedores do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2017. Foto: FBB.

Para Izabel Cristina Lima, assessora da Cáritas Regional Ceará na ação com Economia Solidária e que acompanha a Rede Bodega desde o seu nascimento, a certificação de tecnologia social e a conquista dos prêmios representam um reconhecimento muito grande desta prática de economia solidária. Muito mais do que a premiação em dinheiro pode trazer, a premiação permite algo central para quem acredita na economia solidária como outro modelo de vida: “Possibilita pra gente divulgar um modelo de sociedade, de produção, de consumo, de comercialização que acontece no dia a dia e que não é visto em lugar nenhum. Que não passa nas grandes mídias, que não repercute nas redes sociais. E agora, com o prêmio, essa visibilidade se torna algo concreto. (…) A grande moeda dessa história toda é isso”, revela Izabel.

A premiação aconteceu em Brasília na noite desta quinta-feira (23/11). Esta foi a nona edição do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, que revela e reconhece o trabalho da sociedade civil organizada para atender demandas populares em diversas áreas, com grande poder de transformação de histórias de vida em todo o país. Nesta edição, o prêmio também foi concedido a iniciativas da América Latina e do Caribe que concorreram na categoria Internacional. O prêmio tem cooperação da Unesco no Brasil e o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Banco Mundial, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

Conheça um pouco da Rede Bodega no vídeo produzido pela Fundação Banco do Brasil para o Prêmio Tecnologia Social 2017: https://goo.gl/AnL6Vm

Por Raquel Dantas, da Cáritas Regional Ceará.

No related posts.