Este ano foi a quinta vez que os bispos do Regional Nordeste I da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil se encontraram com a Rede Cáritas Ceará. A motivação é manter aproximação e dialogar sobre as ações desenvolvidas pelo Organismo da CNBB no Regional. O encontro aconteceu na última segunda-feira, dia 16 de outubro, na Casa de Retiro das Irmãs Josefinas, em Messejana, Fortaleza.

Bispos das nove dioceses, sendo oito em que a Cáritas tem atuação no Estado, estiveram presentes, além de agentes das Cáritas Diocesanas, do Secretariado Regional, de representantes do Conselho da Cáritas Ceará e da Coordenação Colegiada do Secretariado Nacional da Cáritas Brasileira. Foram apresentadas as áreas de atuação da Rede no Ceará e dados atualizados sobre o alcance do trabalho da instituição. Em 2017, a Rede Cáritas Ceará está em 79 municípios, 717 comunidades, impactando 22.382 famílias em oito territórios diocesanos. A Cáritas conta com 107 agentes e 210 voluntários no Estado.

Agentes da Cáritas Paroquial de Ocara apresentando as ações da instituição para os bispos do Regional Nordeste 1 da CNBB.

Na ocasião, a primeira Cáritas Paroquial da Arquidiocese de Fortaleza, em Ocara, apresentou as ações desenvolvidas em dois anos de existência e integração à Rede. Dentre elas estão a mobilização social, a promoção de direitos, a atenção à famílias empobrecidas, as ações de educação ambiental e a forte atuação junto às 42 comunidades eclesiais de base do município, dando vida à essência do trabalho pastoral e transformador de Cáritas no território.

A secretária da Cáritas Regional Ceará, Patrícia Amorim – reeleita para mais quatro anos durante a XVIII Assembleia Regional e o VII Encontro das Diretorias, realizados de 16 a 18 de outubro, também em Messejana – fez o chamado aos bispos para ajudarem na animação das paróquias. “Fazemos o chamado de ajuda para o fortalecimento da dimensão social da Igreja e da possibilidade de criação de outras Cáritas Paroquiais”, afirmou reforçando o exemplo da Cáritas de Ocara como inspiração. Dom José Antônio Tosi, Arcepisbo de Fortaleza e presidente da CNBB Nordeste 1, colocou a caridade como missão que a Igreja deve reaprender e que a Cáritas tem como orientadora. “A Cáritas tem um trabalho que pode catalisar. (…) Fazer sentir que é um corpo que faz, que é a Igreja”, afirmou o arcebispo. A reflexão veio com o debate sobre o Dia Mundial do Pobre, dia 20 de novembro, adotado pela Igreja Católia a partir de convocação do Papa Francisco desde o ano passado. Fernando Zambam, da Cáritas Brasileira, reforçou o compromisso da Cáritas com esta data, que está no calendário de atividades da Semana da Solidariedade realizada pela instituição em todo o país, no período de 12 a 19 de novembro. Zambam também pediu apoio dos bispos à Campanha 10 Milhões de Estrelas, lançada pela Cáritas Brasileira em 2014, com o chamado às famílias de todo o Brasil para acender uma luz pela paz em noite de Natal.

A reunião da Rede Cáritas Ceará com os bispos referenciais das Dioceses aconteceu durante o encontro do Conselho Episcopal Regional (CONSER) Nordeste I, com o tema “Os desafios do mundo urbano”. O encontro do Conser termina nesta quinta-feira.

Por Raquel Dantas, da Cáritas Regional Ceará.
Foto: Edevaldo Melo, da Cáritas Diocesana de Crateús.

No related posts.