A Rede Bodega de Comercialização Solidária do Ceará está entre as finalistas do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2017. Em julho, a Rede foi reconhecida como tecnologia social pela FBB junto com outras 172 iniciativas de todo o Brasil e de outros países da América Latina e do Caribe. A seleção foi feita sobre os critérios de tempo de atividade da experiência, das evidências de transformação social, da sistematização da tecnologia – a ponto de tornar possível sua reaplicação em outras comunidades, e do respeito aos valores de protagonismo social, respeito cultural, cuidado ambiental e solidariedade econômica.

Em 2008, a Rede Bodega começou a ser tecida por grupos organizados em cooperativas e associações locais e territoriais de quatro regiões do Estado. Vivenciando os desafios de propor a prática da economia solidária no cotidiano de produção e comercialização de artesanatos e alimentos, a articulação se mantém movida pelas transformações de consciências e trajetórias de vida de quem a integra e pelo sonho coletivo de construir uma forma diferente de viver e se relacionar em sociedade e com a natureza. A Rede Cáritas Ceará acompanhou o nascimento de cada bodega e contribuiu para o surgimento da articulação estadual através da Rede.

Para Maria Francisca Moraes, que integra a Rede Bodega através da Budegama, de Fortaleza, o reconhecimento através da FBB ajuda a fortalecer o trabalho, em especial porque é uma história de muitos anos, de muita gente que tem se dedicado até hoje para fazer dar certo. “Se você olhar por uma olhar mais profundo, [o nosso trabalho] acaba não sendo fácil, porque são mulheres, donas de cada, a maioria sozinhas”, destaca as mulheres como as principais construtoras desta Rede e evidencia todos os desafios que enfrentam nesta condição. Como prática de contracorrente econômica e social, afirma: “Para você manter isso nos dias de hoje, é como uma ciência. É por isso que eu digo que a gente aprendeu muito. Por todo o conteúdo, por toda força e resistência”.

Sobre o prêmio

Esta é a nona edição do Prêmio de Tecnologia Social da Fundação Banco do Brasil, que adota o objetivo de levantar projetos sustentáveis que possam ser reaplicados em diversas comunidades. As propostas inscritas foram classificadas em seis categorias nacionais: Agroecologia, Água e/ou Meio Ambiente, Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital, Economia Solidária, Educação, Saúde e Bem-Estar.

Com a certificação, as tecnologias passam a compor o Banco de Tecnologia Social (BTS) da Fundação BB, que agora conta com 995 iniciativas aptas para reaplicação. O BTS é uma base de dados online, que reúne metodologias reconhecidas por promoverem a resolução de problemas comuns às diversas comunidades brasileiras. Neste banco, todas as tecnologias sociais podem ser consultadas por tema, entidade executora, público-alvo, região, UF, dentre outros parâmetros de pesquisa. Para consultar o banco basta acessar o endereço eletrônico: tecnologiasocial.fbb.org.br.

Todas as finalistas do prêmio 2017 ganharão a produção de um vídeo para retratar a tecnologia, receberão um troféu e participarão do Fórum Internacional de Tecnologia Social, entre os dias 21 e 23 de novembro, em Brasília. A premiação das vencedoras acontecerá no último dia do evento.

Por Raquel Dantas, da Cáritas Regional Ceará. 

No related posts.