Na tarde dessa quarta-feira (26/07) foi realizada uma assembleia comunitária no Acampamento Urbano Carlos Leite de Araújo, localizado atrás do loteamento Mãe Rainha, no bairro Morada Nova em Crateús. O encontro ocorreu após as violências e agressões que os acampados sofreram durante a madrugada do mesmo dia, por um grupo de cerca 30 homens fortemente armados. A agressão foi brutal, as barracas, alimentação, bicicletas e celulares foram queimados e gestantes e jovens foram espancados.

A assembleia, organizada pela Frente Social Cristã e pelos moradores do acampamento, contou com a participação da Cáritas Diocesana de Crateús, Paróquia Senhor do Bonfim com a presença das irmãs Cristiane e Onete, Círculo Margem Esquerda, Sindicato dos Professores e Professoras, OAB – Comissão de Dereitos Humanos, FEC – Federação das Entidades Comunitárias, Levante Popular, o Bispo da Diocese Dom Ailton Menegussi, cidadãos de Crateús, entre outros.

Os participantes e as participantes demonstram indignação pelo acontecido e afirmaram que a agressão não fere só aos acampados, mas também a toda população de Crateús. Para a Cáritas Diocesana de Crateús a moradia é um direito básico de todas e todos e não será o medo da violência que irá interromper a continuidade dessa luta. O Padre Maurício Cremaschi, que está em Juazeiro do Norte, enviou nota se solidarizando com o acontecido. “Solidariedade da CPT às famílias vítimas da violência e da prevaricação da especulação imobiliária”, afirmou o Padre Maurício.

Durante toda a quarta-feira muitas organizações e a sociedade civil demonstraram solidariedade ao acampamento. Foram numerosas as doações de comida, roupa e material de limpeza. Além disso, foi disponibilizado material para a reconstrução das barracas do acampamento como telhas e lonas.

A assembleia concluiu com um convite para todos e todas participarem de um mutirão de reconstrução do acampamento, para garantir a continuidade da ação de resistência para o direito à moradia.

Ataque ao acampamento

Por volta de uma hora da madrugada de quarta-feira (26/07), cerca de 30 homens atacaram de surpresa o acampamento urbano Carlos Leite, localizado atrás do loteamento Mãe Rainha, no bairro Morada Nova em Crateús. O acampamento ocupou um terreno do município, ação faz parte da luta pelos direitos à moradia de dezenas de famílias sem teto. O acampamento é apoiado pela Frente Social Cristã.

As famílias relataram que os homens chegaram efetuando vários disparos com arma de fogo, incendiaram as barracas onde crianças e mulheres grávidas dormiam, agrediram com bastante violência os homens e chegaram a bater em algumas mulheres. Além dessas agressões, o bando ainda queimou alguns celulares na tentativa de evitar as gravações, incendiaram bicicletas, atiraram nas panelas e derramaram os suprimentos das famílias. Foram encontradas no local cápsulas de pistola de calibre 40 de uso da polícia militar.

Destruição no acampamento urbano Carlos Leite após ataque

As famílias estavam visivelmente transtornadas e era nítida as marcas de agressões físicas nos corpos de algumas pessoas. De acordo com os relatos dos acampados, pessoas ligadas ao loteamento estiveram por três vezes no acampamento fazendo abordagens intimidadoras, ameaçando as pessoas e exigindo a saída do local.

As famílias receberam apoio da Cáritas Diocesana de Cratéus, Comissão de Direitos Humanos da OAB, Frente Social Cristã, Circulo de Cultura Margem Esquerda, Sindicato dos Professores/as, FEC e MST. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção Crateús, Marcelo Cavalcante, disse que era inadmissível esse tipo de comportamento violento e que a Comissão de Direitos Humanos da OAB acompanhará as investigações que estão sendo conduzidas pela delegada Regional de Polícia Civil, Dra. Ana Scotti.

O Acampamento e a Frente Social Cristã pedem o apoio à sociedade para doação de alimentos e lonas. As doações podem ser entregues na sede da Frente Social Cristã, Rua. Dr. Júlio Lima, 1014, Centro – Crateús e na Cáritas Diocesana de Crateús, rua Frei Vidal da Penha, 1605, Bairro São José, Crateús.

Por Cáritas Diocesana de Crateús. Matéria publicada no site caritasdecrateus.org.

No related posts.