A última sexta-feira (11/12) foi um dia histórico para a agricultura familiar da serra da Ibiapaba. Lideranças das Casas de Sementes comunitárias e representantes da Cáritas Diocesana de Tianguá, da Escola de Formação, Política e Cidadania – ESPAF e do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTRs) encontraram-se na sede do STTR de Ibiapina para apresentar a proposta de criação da Rede Intercâmbio de Sementes (RIS) na região Ibiapabana. A reunião contou ainda com a presença de Glória Carvalho, assessora da Cáritas Regional, que contribuiu no diálogo e apresentação das ações do projeto de sementes da Cáritas Ceará.

A Rede Intercâmbio de Sementes é um espaço deliberativo e de organização das Casas de Sementes comunitárias, uma experiência que surge das comunidades rurais a partir da necessidade de guardar as sementes crioulas para o plantio. Um espaço é reservado para o armazenamento e as famílias associadas se organizam para depositar suas sementes, garantindo assim as variedades cultivadas historicamente, permitindo que as famílias tenham a autonomia de recusar as sementes transgênicas ou híbridas distribuídas pelo governo. A rede foi criada e agora será tecida por muitas mãos, sobretudo as mãos das agricultoras e dos agricultores que cultivam em seus quintais e roçados as sementes crioulas, sementes que geram vida e organização nas comunidades.

Membros da diretoria eleita para a RIS Ibiapaba com outros integrantes.

Atualmente a região Ibiapabana conta com doze Casas de Sementes comunitárias, sendo organizadas nos municípios de Tianguá, Ubajara, Ibiapina e Carnaubal. Estas são acompanhadas pela Cáritas por meio do projeto Sementes do Semiárido da Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA). O acompanhamento é dinâmico e prevê a organização de 12 comunidades distribuídas nos quatro municípios pelo período de 14 meses, tendo iniciado em março do presente ano. Para fortalecer a ação, a Cáritas atuará em mais quatro comunidades. Estas nos municípios de Viçosa do Ceará e São Benedito por meio do Projeto de Fortalecimento da Economia Solidária, com financiamento da União Européia, uma parceria econômica e política de 28 países pertencentes ao continente. O projeto está em processo de elaboração e terá durabilidade de um ano. Somando assim 16 comunidades organizadas numa rede de partilha de sementes, de histórias que brotam dos solos da serra, sertão e carrasco.

A equipe de coordenação da RIS Ibiapaba ficou composta por três representantes de Casa de Semente e três representantes das instituições parceiras. Sendo elas/es:João Jovem (Tianguá), Antonio Venâncio (Carnaubal) e Marineide (São Benedito) representando as Casas de Semente e Fátima (STTR de Ibiapina), Ivonildo (STTR de Viçosa do Ceará) e Maria das Graças (STTR de Ubajara).

Por Monaiane Sá, comunicadora popular da Cáritas Diocesana de Tianguá.

No related posts.