A Rede Bodega completa 11 anos de caminhada intensa de trabalho e determinação pela defesa de um modelo econômico baseado na solidariedade, no bem viver e na sustentabilidade ambiental. Fortalecendo, principalmente, a autonomia de diversas mulheres, a economia solidária é uma filosofia de vida por novas relações sociais, mais justas e fraternas.

São 25 grupos cooperados de economia solidária no Ceará organizados pela Rede Bodega. Com 218 pessoas, esses grupos comercializam uma grande diversidade de produtos, dentre roupas, acessórios, bonecas de pano, alimentos agroecológicos e bebidas. A Rede Bodega existe desde 2004 e é formada pelo conjunto de quatro pontos fixos de comercialização: Bodega Nordeste Vivo e Solidário, situada no município de Aracati; Budega do Povo, situada em Viçosa do Ceará; Bodega Arcos, com sede em Sobral; e Budegama com sede em Fortaleza.

Troféu Sandra Magalhães, boneca confeccionada pelas artesãs da Rede Bodega

Essa experiência rendeu à Bodega o prêmio Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de Boas Práticas em Economia Solidária na categoria Redes de Empreendimentos Solidários no dia 11 julho desse ano. A premiação aconteceu em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, durante a 22ª Feira Internacional de Cooperativismo (Feicoop 2015) e a 11ª Feira Latino-Americana de Economia Solidária (EcoSol 2015).  O prêmio é uma ação conjunta do BNDES, da Secretaria Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego (SENAES/MTE) e do Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES). Em sua primeira edição, o prêmio contemplou 48 iniciativas em todo o país, destinando um total de R$ 1,26 milhão para três categorias: Redes de Empreendimentos Solidários, Empreendimento Econômico Solidário (EES) Formalizado e Empreendimento Econômico Solidário (EES) Ainda Não Formalizado.

Os vencedores receberam o Troféu Sandra Magalhães, uma boneca confeccionada por artesãos da Rede Bodega, em homenagem à assistente social e economista que foi uma das fundadoras do Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES).

 

Luciana Eugênio, integrante da Budegama, fez um depoimento a Rede Cáritas Ceará sobre a importância e finalidade da premiação para a Rede Bodega:

O Prêmio BNDES de Ecosol foi mais uma conquista para a Economia Solidária. Ter este reconhecimento do BNDES representa muito para os grupos/empreendimentos em termos de avanços. É uma forma de dizer que existimos, somos muitos e também movimentamos a economia neste país. Os empreendimentos premiados mostram a diversidade que somos, pontos fixos, catadores, mulheres, jovens, comunidades alternativas, de todas as regiões do Brasil.

Entrega do prêmio à Rede Bodegas para Luciana Eugênio

Para nós, da Budegama, o prêmio veio em dobro. Fazer a boneca Sandrinha, que foi o troféu do prêmio, foi muito desafiador e ao mesmo tempo gratificante quando ao chegar em Santa Maria fomos recebidas com um emotivo e caloroso abraço da mãe da Sandra. Ela olhava a boneca com os olhos rasos de lágrima e abraçava-a com carinho e saudade. Afagava os cabelos como se fosse a própria filha. Era pura emoção… Procuramos trazer pra boneca a lembrança que tínhamos da Sandra, de alegria, menina sapeca, cabelo de trança com seus vestidos coloridos e regionais. É bom demais distribuir Brasil afora um pedacinho de dias fadados de trabalho coletivo.

Para a Rede penso que (o prêmio) venha nos fortalecer, pois a concorrência entre redes no Nordeste foi dura. E termos vencido esta concorrência nos anima e diz que estamos vivenciando e contribuindo para a economia solidária no nosso estado. Que a luta vale apena, que não estamos sós e como é importante, forte e necessária a construção coletiva para a vida da rede e, consequentemente, para cada um de nós que caminhamos budegando. Além da contribuição financeira que também vai ajudar neste momento crítico para as bodegas [refere-se à situação financeira e hídrica do Estado que impacta diretamente na produção da agricultura familiar e na  procura pelos produtos nas bodegas] .

Por Rede Cáritas Ceará

No related posts.