SAF do agricultor Antônio José, na comunidade Juá dos Vieiras

Nos dias 25 e 26 de junho representantes do Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN) realizaram uma visita de campo às experiências de sistemas agroflorestais (SAFs) no semiárido Ibiapabano. Daniel Vieira e Artur de Paula fazem parte de um projeto de pesquisa de iniciativa do Instituto ISPN que atua com pesquisa e documentação no campo “ecossocial”, tendo como foco os povos e comunidades tradicionais, agricultores e agricultoras familiares e suas organizações. A visita de campo é parte do projeto que tem como produto final a elaboração de um manual com informações legislativas para as unidades produtivas e práticas de manejo com base nas experiências visitadas. Em parceria com o Instituto na execução do projeto estão o Instituto Regional da Pequena Agropecuária (IRPAA), que atua com ações de convivência com o semiárido no território baiano, na busca por soluções eficazes aos desafios do bioma, e a Embrapa, instituição pública de pesquisa vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil.

A visita teve seu ponto de partida no Encontro Nacional de Sistemas Agroflorestais (SAFs) que aconteceu em Brasília de 25 a 27 de maio desse ano. A Cáritas do Ceará foi representada por Chico Antônio, agricultor agroecológico e animador de campo do projeto Sementes do Semiárido. Sua experiência localizada no sitio Recanto do Beija Flor foi uma das unidades visitadas. A proposta era conhecer sistemas agroflorestais nos territórios de caatinga, bioma característico do semiárido. A caatinga ocupa uma área de 844,453 km², o equivalente a 11% do território nacional. Apesar da sua importância, o bioma tem sido desmatado de forma acelerada nos últimos anos. Segundo dados do Ministério de Meio Ambiente os principais fatores são o consumo de lenha nativa explorada de forma ilegal e insustentável para fins domésticos e industriais, ao sobrepastoreio e à conversão para pastagens e agricultura.

Cultivo do mel das abelhas Jandaíra no SAF do agricultor Ernaldo

Considerando a diversidade existente no bioma caatinga, três unidades foram selecionadas para a visita. A primeira experiência visitada foi a do agricultor Ernaldo, na comunidade Letreiro, em Tianguá. Junto com sua família ele cultiva o mel das abelhas Jandaíra introduzidas ao SAF.  Em Viçosa do Ceará, duas unidades foram visitadas: a do sitio Recanto do Beija Flor e a da comunidade Juá dos Vieiras, onde reside o agricultor Antônio José Sousa. Em 2008, junto à esposa Elizabethe e os filhos Yasmim – e, posteriormente o filho Lorenzo – a família mudou para a comunidade em busca de uma vida no campo que lhes proporcionassem um contato maior com a terra e com a agroecologia. “No inicio, a propriedade estava bem degradada”, afirma Antônio José. Logo eles iniciaram um trabalho de recuperação da propriedade e hoje a família já colhe os resultados do trabalho. Com a produção no sistema agroflorestal comercializam polpas do beneficiamento de frutas dentro da comunidade e em outras regiões, além da criar aves e caprinos no sistema. O sitio batizado de Flor do Jasmim conta atualmente com uma vasta diversidade de plantas nativas da caatinga, resultado do manejo dado à propriedade. Feliz com os resultados obtidos no sistema, Antônio José afirma: “a gente vai percebendo as necessidades, as informações vão chegando e a gente vê o que precisa. Não é mérito meu, é de um monte de gente que tá envolvido”.

Por Monaiane Sá, da Rede de Comunicadoras e Comunicadores Cáritas Ceará

No related posts.