Com sorrisos e abraços, agentes vindos/as das dioceses de Crato, Iguatu, Itapipoca e Tianguá se reuniram na sede da Cáritas Diocesana de Sobral neste dia 21, no desejo de dialogarem sobre os projetos do Programa Sementes do Semiárido – ASA/Cáritas Regional e ECOFORTE – Cáritas Diocesana de Itapipoca e Sobral. Com foco nas sementes crioulas, os projetos terão atuação nos territórios das respectivas dioceses abordando a garantia da soberania e segurança alimentar para homens e mulheres que por meio das sementes vivenciam a luta e a resistência pelos direitos básicos da vida humana.

As equipes partilharam as ações já planejadas, os desafios e as perspectivas para o processo de execução dos projetos em cada território. Entre elas está á realização do diagnóstico das casas de sementes já existentes, reuniões municipais e comunitárias, capacitações sobre gestão da casa de sementes, seleção, produção e multiplicação das sementes, além de encontros territoriais e estaduais. Dentro das perspectivas está à mobilização de um projeto de lei que contemple as sementes crioulas nos municípios acompanhados complementando a lei federal, alguns municípios já se mostram favoráveis a essa iniciativa por meio de vereadores sensíveis a questão. O envolvimento das juventudes na organização das casas de sementes e nos processos de construção dos projetos surge também como um desafio apontado pelas unidades gestoras que coletivamente apontam estratégias de superação, dentre elas está á realização de formações específica para os jovens de modo que possam estar contribuindo como multiplicadores/as dos saberes nas capacitações das famílias, assim como em espaços que envolvam a organização da casa de sementes, um exemplo é a festa da colheita realizada nas comunidades e municípios para celebrar o resultado do trabalho dos cuidadores/as das sementes da vida.

As ações são comuns a todas as equipes, nesse sentido planejá-las em conjunto significa “fortalecer a Cáritas por meio da ação das sementes, na perspectiva de estarmos mais juntos, mais próximos a partir do projeto”, afirma Alessandro Nunes da Cáritas Regional Ceará. Com data prevista para junho, as equipes tornarão a se encontrar para avaliar o andamento das ações desenvolvidas e fortalecer ainda mais a identidade de sementes crioulas.

Por Monaiane Sá, comunicadora popular das Cáritas de Tianguá e Sobral

No related posts.