No dia 26 de fevereiro a diocese de Sobral recebeu o encontro do Fórum Microrregional pela Vida no Semiárido, reunindo 42 pessoas vindas de 13 municípios da microrregião de Sobral e instituições que compõem o fórum como a Cáritas Diocesana de Sobral, Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, Federação de Entidades Comunitárias de Morrinhos – FECOMUM, FETRAECE (que acolheu os/as participantes em sua sede), representantes de secretarias de agricultura e membros/as da Cáritas Diocesana de Itapipoca. O encontro teve como objetivo refletir sobre a crise hídrica e dialogar sobre a semana da água que acontecerá de 16 a 22 de março.

Cada município trouxe pra roda a partilha da realidade hídrica em seus territórios e como isso tem sido vivenciado pela população. Representantes das localidades de Moraújo, Alcântaras, Marco, Varjota, Frecheirinha, Massapê, Sobral, Groaíras, Cariré, Morrinhos, Santana Do Acaraú, Bela Cruz e Itapipoca partilharam os desafios consequentes da estiagem prolongada, a luta das comunidades pelo acesso a água, a esperança vivida pelo/a sertanejo/a no enfrentamento da escassez e o desejo de que caia chuva para molhar a terra e produzir vida.

A situação hídrica é semelhante nos treze municípios, os reservatórios estão secando e alguns já se encontram com menos de 10% de sua capacidade, como o açude Araras em Varjota.Consequentemente as compotas das redes de abastecimento estão com data prevista para serem fechadas se não chover o suficiente para reabastecer tais reservatórios.Os municípios estão sendo abastecidas por carros pipa, no entanto, em alguns há apenas um veículo disponível para atender toda a população, um exemplo é a cidade de Massapê, onde a população, sobretudo das comunidades mais distantes, sofrem pela ineficiência do serviço.

Neste cenário de dificuldades, algumas luzes estão reanimando o povo sertanejo, dentre elas o diálogo entre prefeituras e sociedade civil que vem resultando em reuniões municipais para buscar alternativas de enfrentamento da falta d’água e conscientização dos habitantes, como em Groaíras, agendados para o dia 5 de março. As cisternas, tecnologias de armazenamento de água, implantadas nas comunidades também são uma fonte de esperança e ajuda às inúmeras famílias que apesar do pouco índice de chuva na região, guardam a água que aos poucos caem nos territórios do sertão.

O encontro foi fortalecido pela apresentação da campanha estadual “Água nossa de cada dia” para a semana da água que acontecerá de 15 a 22 de março. Erivan Silva trouxe informações do recente estudo que afirma que em 2030, 2,5 bilhões de pessoas podem não ter acesso a água potável. No Brasil, 75% dos rios estão poluídos, as nascentes dos principais rios estão sendo exterminadas com a presença do agronegócio que é uma agricultura de exportação, além de ser responsável por um número alarmante de consumo hídrico. No Ceará dos 144 açudes gerenciados pela COGERH, 84 estão em estado crítico com menos de 30% de água acumulada.

Segundo a Declaração Universal dos Direitos da Água/ONU – 1992: “A água faz parte do patrimônio do planeta. Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão, é plenamente responsável aos olhos de todos”. Diante disso, conclui-se que “o problema da crise da água é um problema de gestão e de projetos inválidos a realidade, porque o modelo de desenvolvimento que aí está é incompatível com o mundo e com o semiárido!”

Para a Semana da Água, serão realizadas atividades de divulgação em programas de rádio e nas redes sociais, limpeza de olhos d’água, rios e outras fontes, seminários e palestras de formação em comunidades, sindicatos, escolas e com grupos de jovens, visita a famílias com experiências de armazenamento de água nas cisternas, reunião com delegacias sindicais e coordenações de base, audiências públicas, celebrações religiosas e como atividade estadual, um abaixo assinado que reivindica o fim da pulverização aérea com agrotóxicos.

Diante das dificuldades novas luzes no semiárido continuam a ser acesas, em forma de ações que serão desenvolvidas nos territórios que compõem a microrregião. Exemplo disso sãos os Projetos de Sementes do Semiárido e Cisternas nas Escolas apresentados por Lourdes Camilo e Paulo César. O Projeto Sementes do Semiárido será executado pela Cáritas Regional em comunidades dos municípios de Santana do Acaraú, Massapê, Sobral, Alcântaras e Frecheirinha. E o projeto Cisterna nas escolas executado pela Cáritas Diocesana de Itapipoca em Escolas Rurais de Meruoca, Alcântaras, Sobral e Coreaú.

A participação de todos e todas é fundamental para que se viva com intensidade esta semana de celebrações e lutas.

Monaiane Sá, Comunicadora da Cáritas Diocesana de Sobral

No related posts.