Entre os dias 6 e 8 de novembro, as entidades membros da Cáritas Brasileira no Nordeste se reuniram para realização do Encontro Interregional, na praia do Presídio, Arquiraz, Ceará. Debater a conjuntura política e social, além do modelo de desenvolvimento brasileiro com foco na região Nordeste foi o ponto que percorreu o encontro. A discussão se deu como aprofundamento da temática da Campanha Mundial Uma família humana – pão e justiça para todas as pessoas, puxada pela Cáritas Internacionalis. O primeiro painel trouxe o tema: Análise de conjuntura e perspectivas de superação das fomes, da pobreza e da injustiça social no Nordeste, com as contribuições de Alessandra Miranda, assessora nacional de Direitos Humanos do Secretariado Nacional da Cáritas Brasileira, e de Ricarte Almeida, secretário executivo da Cáritas Regional Maranhão.

Visita ao galpão da Ascajan

Como ação pela Semana de Solidariedade (7 a 14 de novembro), a Cáritas Regional Ceará, responsável pela organização do encontro, propôs uma atividade de vivência na comunidade do Jangurussu, em Fortaleza, junto aos catadores e catadoras de material reciclável. Os agentes Cáritas conheceram a sede da Ascajan (Associação dos/as Catadores/as de Material Reciclável do Jangurussu) e em seguida se dividiram em grupos. Uns visitaram as casas de famílias da comunidade e outros ajudaram catadoras e catadores no galpão nos trabalhos de triagem, prensa dos materiais e separação de papéis. Por fim, para celebrar a visita e fazer ecoar as fomes de justiça e direitos do Jangurussu através da Campanha Mundial, foi feito um cortejo pelas ruas da comunidade com a participação dos moradores. Os grupos de jovens e crianças que participam das bandas de lata do PIAJ – Programa Infância, Adolescência e Juventude da Cáritas e do Conjunto Palmeira, o Palmerê, animaram a caminhada ao som dos batuques. Ao final do cortejo uma celebração na capela da comunidade marcou o dia 7, primeiro dia da Semana da Solidariedade.

Cortejo na comunidade do Jangurussu com o tema da Campanha Mundial

Outro objetivo do encontro Interregional foi o intercâmbio de experiência entre os agentes Cáritas sobre as diversas lutas e ações sociais às quais estão envolvidos no Nordeste. Com esse intuito houve um painel sobre O Estado que temos e o Estado que queremos: o modelo de desenvolvimento e os impactos dos grandes projetos sobre às comunidades, com a contribuição das análises de Rodrigo Medeiros, da Rede Nacional de Advogados Populares (Renap), e de Cristiane Faustino, do Instituto Terramar. Olhar para a configuração do Estado, os entraves para a participação social, em especial no sistema de justiça, e pensar sobre o conjunto de lutas que se assemelham em nossa região, foi também o ponto de partida para avaliar as prioridades dos Regionais nas ações para 2015. Nesse sentido cinco linhas prioritárias foram traçadas conjuntamente: ações com mulheres; continuidade dos trabalhos com o semiárido; fortalecimento das ações com os catadores de materiais recicláveis visando uma política interna; a atenção maior à formação e incidência política levando em conta as discussões sobre reforma política e sobre o sistema de justiça; além da pauta da sustentabilidade.

Por Raquel Dantas, comunicadora da Cáritas Regional Ceará

No related posts.